segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Fase das birras

A Leonor entrou há já umas semanas na fase das birras. Se as coisas não lhe correm como ela entende faz o filme completo: chora, deita-se ao chão e esperneia.

Li algures que é um sinal de crescimento, pois desta forma a criança procura afirmar-se. Na prática, sinto-me desesperada por não saber muito bem como lidar com as birras que chegam a culminar em crises de histeria.

Como sempre, utilizei o meu grande amigo Google para investigar melhor e o que apurei foi que:
- Surgem entre os 18 meses e 3/4 anos, com menor ou maior intensidade;
- Ajudam a criança a aprender a conviver com sentimentos como a frustração e a zanga, a desenvolver a capacidade de auto-controlo e a aceitar o facto de que nem sempre lhe fazem a vontade;
- O papel dos pais é fundamental, pois cabe-lhes ensinar aos filhos outras formas de expressar as suas necessidades e a aceitar o facto de que nem sempre lhe fazem a vontade.

Sendo assim, o nosso papel é o seguinte:
- Prevenir, sempre que possível, as situações que as podem provocar (cansaço, excitação, etc);
- Manter a calma e não gritar para dar exemplo de auto-controlo;
- Dizer não, explicando a razão de o fazerem;
- Dizer que as birras não os farão mudar a sua opinião;
- Se continuar, procurar distraí-la ou não lhe dar atenção por alguns minutos;
- Depois de se ter acalmado, felicita-la por ter optado pelo bom comportamento, e procure falar com ela sobre alternativas de se expressar;
- E o mais importante é ambos os pais serem consistentes: têm que ser firmes e fazerem respeitar as suas regras para que as crianças assim aprendem que tudo tem limites e aprendem a viver em sociedade.

Agora vamos ver como correm as coisas quando se passa da teoria à prática :)

3 comentários:

Cláudia disse...

Olá amiga!

Pois é, às vezes só apetece mesmo fugir. O meu filho do meio tem agora 5 anos mas sempre gostou de umas birrinhas (ainda gosta!).
Também li e pratico algumas dessas dicas mas por vezes....a palmada na hora certa faz milagres!
Boa sorte e não te esqueças NÓS PAIS É QUE NÃO PODEMOS FAZER BIRRAS!!!!

Beijos

Cláudia

Marília disse...

Amén!

cristina disse...

Quanto à nossa M. a palmada surte muito pouco efeito. O explicar que chorar não leva a lado nenhum e depois ignorar é muito mais eficaz. Normalmente, se durar muito, tento a distracção com outra coisa, mas sempre firme na demonstração de que não estou feliz com a birra. Aliás, a M. por vezes, chega a pedir desculpa no fim, de tal forma já percebe o que é uma birra. Uma dica para mais tarde: com mais de 3 anos, já podemos usar o "quarto das birras", ou seja, um sítio onde não incomoda ninguém e tem direito a chorar, espernear, eu sei lá, desde que não se magoe, e quando tiver acabado, chamar-nos para irmos lá buscá-la, dando-lhe os parabéns por se ter conseguido controlar. Com o meu afilhado, quando eu o fazia, resultou às 1000 maravilhas...